História

História

Novo Progresso é um município brasileiro do estado do Pará. Sua população, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), era de 25 169 habitantes em 2014.

O surgimento de Novo Progresso se deve a construção da rodovia Santarém – Cuiabá, que em 1973, rasgou e desmatou a floresta amazônica. Em 1983, já se percebia um pequeno povoado, com uma igreja e um campo de futebol.

O ano de 1984 representou a mudança total na economia do lugar, com a descoberta de uma grande jazida de ouro, atraindo milhares de pessoas à localidade. Nessa época o povoado chamava-se Progresso. Surfurino Ribeiro promoveu venda de lotes, sendo que o primeiro foi vendido para Antônio Reginaldo Araújo, que ergueu um bar e restaurante, atendendo ônibus e viajantes, com alimentos e camas para dormir.

Dentre os pioneiros se destacam Otávio Onetta, comerciante e vereador da primeira legislatura; as professoras Nilda Araújo Prazeres e Doralina Ruaro. Também marcaram época Inácio de Lima e Valmor Dagostim, entre outros vários que deram seu sangue e suor por esta terra.

A comissão Pró-emancipação foi criada em 1985, sendo presidente o Sr. Laurindo Blatt. O povoado foi elevado à categoria de Município, pela Lei Estadual nº 5.700, de 13 de dezembro de 1991, com território desmembrado de Itaituba e instalado em 1º de janeiro de 1993, com denominação de Novo Progresso.

O termo “Novo” foi acrescentado para diferenciá-lo de outro município da Federação com o nome de Progresso.


História 2

Toda a região Norte do Brasil, coberta pela floresta amazônica, ainda quase intocada pelo homem, guardava uma biodiversidade ainda desconhecida, suas cidades, quase que numa totalidade, ribeirinhas, tinha nos rios a única via de transporte e comunicação existente naquele tempo.

Supostamente, segundo o Departamento de Cultura do município (2010) os primeiros habitantes do município foram os índios, anos atrás, pois são encontrados muitos restos de cerâmica e instrumentos de caça e pescas rudimentares em toda região do município, no leito e nas margens do Rio Jamanxim.

Ainda segundo o Departamento de Cultura (2010) a exploração da borracha, nos anos de 1940 a 1950, antes do surgimento da Rodovia, havia moradores na região, estes habitavam em plena selva, seriam famílias alojadas ao largo do Rio Jamanxim em busca de seringueiras, árvores que fornecem o látex para a fabricação de borracha.Podem ser encontrados vestígios das moradias dessas famílias como a plantação de árvores frutíferas como abacateiros, laranjeiras, mangueiras, cajueiros e goiabeiras, além de marcas de extração do leite de seringa nas árvores.

Segundo dados da Prefeitura de Novo Progresso – PA (2010), no ano de 1954, foi criada a Unidade da Aeronáutica, na Serra do Cachimbo, com o objetivo principal de servir de base de apoio para a operação de aeronaves no tráfego de ligação entre a região Norte e Sudeste do Brasil.

A Base Aérea fica ao Sul do município, a instalação desta Unidade também faz parte da história da ocupação deste espaço na floresta amazônica, mais precisamente deste município.

A rodovia Cuiabá – Santarém, BR-163, que em 1973, “rasgou” a floresta amazônica, construção essa feita pelo Exército Brasileiro, sendo duas equipes 8º e 9º BIS, o Programa do Governo Federal sobre a ocupação destas terras trouxe algumas famílias que iniciaram suas atividades de ocupação em suas propriedades e com isso o surgimento de pequenas comunidades para atender as suas próprias necessidades.

O nascimento de Novo Progresso – PA, também como tantas outras, se deve à construção da rodovia Cuiabá – Santarém. Em 1983, mais exatamente no Km 1085, marco feito a cada quilometragem da BR, já se percebia uma capela da igreja católica, um campo de futebol, um restaurante e um armazém.

De acordo com a história, as famílias que se acomodaram nessa região, principalmente nos arredores da cidade,  ainda se encontram  instaladas, como: João Tangará e família; Sr. José Mendes  dos Santos e Dona Teté; o Sr. Dierthen Birk e familia;o Sr. Milto Scremin e família; Sr. Prazeres e família e muitos outros.

Com a condição de comunidade e sua evolução, líderes  iniciaram o processo de emancipação dentre os fundadores destacam-se Diethelm Birk, Otávio Onetta, Surfurino Ribeiro, Francisco Piran, Orival Prazeres, Valmor Dagostin, Milto Scremin, Inácio de Lima e suas respectivas famílias. A comissão Pró-emancipação foi criada em 1985, sendo presidente o Sr. Laurindo Blatt.

No município de Itaituba tivemos o apoio de políticos, liderando a ideia o Vereador Peninha, Wilson Schuber, então prefeito atuante que levou o Projeto a Casa de Leis do Estado, Benedito Guimarães e Nicias Ribeiro Deputado Federal, interessados na criação de novos municípios, reconhecendo estes a grandiosidade do território e levando em conta a distancia entre estes que seriam Jacareacanga, Aveiro, Novo Progresso, Creporizão e Trairão.

A comissão Pró-emancipação foi criada em 1985, sendo presidente o Sr.Laurindo Blatt. O povoado foi elevado à categoria de Município, pela Lei Estadual nº 5.700, de 13 de dezembro de 1991, com território desmembrado de Itaituba e instalado em 1º de janeiro de 1993, com denominação de Novo Progresso.

Em 28 de abril de 1991 realizou-se o plebiscito para que a população opinasse sobre a emancipação municipal. Compareceram às urnas 1.496 eleitores, destes 1.470 eleitores votaram “sim”. Atualmente, o município possui apenas o distrito-sede de Novo Progresso. O Município possui várias povoações importantes, como: Riozinho das Arraias, na divisa com Itaituba; Comunidade de Santo Antônio, no km 1.140; Comunidade dos Gaúchos, Vila Bandeirante, a 30 km da sede; Agrovila, no km 1.027; além de Santa Júlia, Nova Veneza, Visa Isol e Comunidade de Linha Gaúcha.

Seus limites ao Norte – Município de Itaituba A Leste – Município de Altamira Ao Sul – Estado de Mato Grosso A Oeste – Municípios de Jacareacanga e Itaituba Localização, Este Município pertence à mesorregião Sudoeste Paraense e à microrregião Itaituba.

O município de Novo Progresso foi criado através da Lei nº. 5.700, de 13 de dezembro de 1991, sancionada pelo governador Jader Barbalho (publicada no diário Oficial de 20 de dezembro de 1991, edição nº. 27.122). O município de Novo Progresso foi desmembrado do município de Itaituba, com sede na localidade de vila de Novo Progresso, que passou à categoria de cidade, com a mesma denominação. Sua instalação oficial aconteceu em 1º de janeiro de 1993, com a posse do prefeito, vice-prefeito e vereadores eleitos no pleito municipal de 03 de outubro de 1992.


Bandeira e Brasão

 

 

 

 

 

O VERDE E O AMARELO: São uma herança da Bandeira Nacional;

O VERDE: As arvores em abundância (a natureza vidente) caracteriza e a esperança a primavera constante;

O AMARELO: As riquezas minerais, nossa economia, nossos ideais;

O AZUL: O nosso céu límpido e nossas águas;

O BRANCO: A paz, o amanhecer e as cachoeiras;

O MARROM: Nosso chão, nossa herança a terra.

Já as Figuras Geométricas representam:

A ESTRELA: O município em meio a selva;

O CIRCULO: Tudo o que cerca o município;

O QUADRADO: Lembra a igualdade de todos, assim como os ângulos de um quadrado;

O RETÂNGULO: Que todos tem um mesmo segmento (objetivo).


Acessibilidade
Acessibilidade